Ilustrada no Pop

 

 

Groove Armada em São Paulo

Está marcado para 30 de abril, às 21h30, um show do Groove Armada no Credicard Hall, em São Paulo. O show será com os dois produtores do GA, Tom Findlay e Andy Cato, mais banda de apoio. A banda deve fazer show em cima de "10 Year Story", coletânea que saiu no final do ano passado e que traz os principais hits do grupo, como "Superstylin", "At the River" e "I See You Baby".

Os preços: de R$ 80 (platéia superior) a R$ 300 (camarote); a pista custa R$ 130. Ingressos já estão à venda.

Abaixo, "Superstylin" no festival Glastonbury de 2004.

Escrito por Thiago Ney às 17h51

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Rádio Norte

Acabou de chegar aqui na Redação o boletim bimestral do Ecad, que traz os rankings regionais de rádio de janeiro, com as 10 músicas mais executadas em cada região do país. 

Vendo o top 10 das regiões centro-oeste, nordeste, sul e sudeste, não há muita surpresa: todas tem "Big Girl's Don't Cry", da Fergie, por exemplo, ou "Deixo", de Ivete Sangalo; há sertanejos (mais no centro-oeste), forró (mais no nordeste) e coisas internacionais como "Umbrella", da Rihanna, e "Beautiful Liar", da Beyoncé (no sul e sudeste); enfim, há uma certa unidade e, digamos, uma coerência, algo já esperado.

Mas o ranking da região norte é de cair o queixo (e não estou entrando no mérito da qualidade aqui, até porque, neste quesito, todas estão igualmente mal das pernas). Fiquei impressionado com o descolamento em relação às demais regiões do Brasil e, aparentemente, em relação ao século 21. Eis as 10 músicas mais tocadas nas rádios da região norte, em janeiro de 2008:

1 - "É Preciso Saber Viver", Titãs

2 - "Eu sei" - Papas da Língua

3 - "Reunidos Aqui" - Padre Marcelo Rossi

4 - "Besame Mucho" - Connie Francis

5 - "Deixo" - Ivete Sangalo (a única que está em todas as regiões)

6 - "É uma Partida de Futebol" - Skank

7 - "Que nem Maré" - Jorge Vercilo

8 - "Além das Ondas" - Cidade Negra

9 - "Blue Savannah" - Erasure

10 - "Doce Paixão" - Babado Novo (a única, além da Ivete, que não está só no top 10 do norte)

Escrito por Marco Aurélio Canônico às 17h32

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O Brasil recebe Diablo

A norte-americana Diablo Cody ficou conhecida após ter escrito o roteiro de "Juno" (se ainda não assistiu, veja!). Antes do cinema, foi DJ de rádio, secretária, stripper... Em 2006, ela publicou nos EUA uma espécie de livro de memórias, "Candy Girl: A Year in the Life of an Unlikely Stripper". Pois a Nova Fronteira comprou os direitos do livro e vai publicá-lo no Brasil. Ainda não tem data, mas deve ser até o final do ano.

Escrito por Thiago Ney às 15h06

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Simonal e Sarah Vaughan

Na carona da exibição do documentário "Ninguém Sabe o Duro que Dei", sobre Wilson Simonal (1939-2000), fizemos entrevista com o Cláudio Manoel, um dos diretores do filme (que será exibido no festival É Tudo Verdade, nos dias 4 e 5 de abril, no Cinesesc, em São Paulo). E veio a dica do Zé Flávio Jr.: um vídeo do Simonal num dueto com a Sarah Vaughan em 1970, em programa da TV Tupi.

Escrito por Thiago Ney às 18h11

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Jesus no Brasil

Tem gente que tentou trazer o Jesus & Mary Chain para o Brasil. E ouviu do empresário dos escoceses que não dava. Porque a banda já está acertada com um festival brasileiro que acontece em 8 de novembro. Festival brasileiro que acontece em 8 de novembro é o Planeta Terra.

Escrito por Thiago Ney às 17h06

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O Lov.e dá adeus com DUAS festas

Serão duas, e não uma, as festas de despedida do Lov.e, clube paulistano que fecha as portas após quase dez anos de vida. A primeira, voltada ao tecno, electro e house, acontece em 4 de abril. Das 23h59 às 12h do dia seguinte, tocarão:
Angelo Leuzzi, Marcos Morcerf, Flavia Carrara, The Witchdoktors, Glaucia ++, Rodrigo Moretti, Mau Mau, Paula, Marcio Zamzi, Jac Junior & Mr. Gil, Ana Flávia, Daniel U.M., Mauricio U.M., Ilya Simione, Snoop, Magal, Pil Marques, Renato Lopes, Oscar Bueno, George Actv, Mara Bruiser, Camilo Rocha, Julião e Eli Iwasa.
O preço, para essa data, será R$ 20.

A segunda festa acontece em 11 de abril, e será dedicada ao drum'n'bass. A partir das 23h59, com preço de entrada de R$ 15, se apresentarão: Marky, Patife, Koloral, Marnel, Will, Beto Dog Face, Cezar Peralta, Cleber Port, Ney Faustini, Andy e MC Lucky & Size.

Escrito por Thiago Ney às 21h01

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Accelerate

ouviu o novo do REM, "Accelerate"? Acabei de ouvir na íntegra, e minha primeira impressão é de que é como um jogo de futebol em que o time faz 3x0 ("Living Well's the Best Revenge", "Man-Sized Wreath" e "Supernatural Superserious", essa um golaço) e depois relaxa, joga burocraticamente, toma o empate e vaia da torcida até que, no final, marca mais um gol e sai com a vitória apertada.

Em suma, me pareceu um disco irregular, não a obra-prima que vinha sendo anunciada, "uma volta à velha forma" etc. e tal. É mais rock n' roll que os anteriores recentes, sem dúvida, mas até aí... Enfim, pelo menos acaba muito bem, com "I'm Gonna DJ". Vou ouvir mais pra ver como desce.

 

Escrito por Marco Aurélio Canônico às 19h26

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Weezer e o futebol

E quem diria que Rivers Cuomo, o vocalista do Weezer (que segue promovendo seu disco solo), é grande fã de futebol - e até mesmo joga regularmente e, pelo que se vê, tem algum domínio de bola? Um ícone nerd e, além disso, norte-americano, certamente é das últimas pessoas que eu imaginaria como entusiasta do futebol. O que só mostra como estereótipos (geralmente) não servem pra nada.

O novo vídeo solo do rapaz (para "Lover in the Snow") conta sua história com o futebol; é uma história surpreendente, que envolve a separação de seus pais e até uma operação para poder jogar bola. E mais: em seu MySpace, o sujeito se nomeou "Rivaldinho" !!!!

Lover In The Snow

Escrito por Marco Aurélio Canônico às 14h41

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

3 Minutos com... Cláudio Manoel

3 Minutos com... Cláudio Manoel

A Ilustrada desta segunda-feira (dia 24 de março) traz reportagem de Luiz Fernando Vianna sobre o documentário "Ninguém Sabe o Duro que Dei", que narra a trajetória do cantor Wilson Simonal (1939-2000) e que será exibido no festival É Tudo Verdade (dias 4 e 5 de abril, no Cinesesc, em São Paulo). Um dos maiores ídolos da música brasileira no final dos anos 1960/começo dos anos 1970, Simonal entrou em desgraça após ser conectado ao regima militar (ele teria sido informante do Dops). Conversei com um dos diretores do documentário, Cláudio Manoel (também humorista do Casseta & Planeta), que falou bastante (foram muito mais do que três minutos...) sobre Simonal e sobre o filme. Ouça aqui.

Escrito por Thiago Ney às 18h45

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | 3 Minutos com... | PermalinkPermalink #

A nova(?) do Black Kids

Desde o ano passado estamos falando nos Black Kids, banda da Flórida que faz o que o Arcade Fire deveria fazer se eles chupassem menos o U2. Mas o que interessa é que várias das músicas dos Black Kids rodam a internet há meses, como "Hit the Heartbrakes", "I've Underestimated My Charm (Again)" e "I'm Not Gonna Teach Your Boyfriend How to Dance with You". Esta última, veja só, será lançada oficialmente apenas em 7 de abril. A banda regravou a faixa e produziu um clipe. Como a música é bem boa, continuamos ouvindo.

Escrito por Thiago Ney às 19h37

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Barack who?

Não vou falar nada. Mas no site da revista XXL Mag tem uma entrevista com o rapper americano DMX. Uma parte está aqui:

Pergunta: Barack Obama, yeah.
Resposta: Barack?!
Pergunta: Barack.
Resposta: What the fuck is a Barack?! Barack Obama. Where he from, Africa?
Pergunta: Yeah, his dad is from Kenya.
Resposta: Barack Obama?
Pergunta: Yeah.
Resposta: What the fuck?! That ain't no fuckin' name, yo. That ain't that nigga's name. You can't be serious. Barack Obama. Get the fuck outta here.
Pergunta: You're telling me you haven't heard about him before?
Resposta: I ain't really paying much attention.
Pergunta: I mean, it's pretty big if a Black...
Resposta: Wow, Barack! The nigga's name is Barack. Barack? Nigga named Barack Obama. What the fuck, man?! Is he serious? That ain't his fuckin' name. Ima tell this nigga when I see him, "Stop that bullshit. Stop that bullshit" [laughs] "That ain't your fuckin' name." Your momma ain't name you no damn Barack.

Escrito por Thiago Ney às 20h13

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Jack White e os Raconteurs

O segundo disco dos Raconteurs, "Consolers of the Lonely", sai na próxima terça (dia 25/3). Aqui uma foto nova da banda do Jack White, tirada do Modern Age:

 

As músicas do disco:

"Consoler of the Lonely"
"Salute Your Solution"
"You Don't Understand Me"
"Old Enough"
"The Switch and the Spur"
"Hold Up"
"Top Yourself"
"Many Shades of Black"
"Five on the Five"
"Attention"
"Pull This Blanket Off"
"Rich Kid Blues"
"These Stones Will Shout"
"Carolina Drama"

Escrito por Thiago Ney às 19h53

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

New York Dolls em SP

A veterana banda glam New York Dolls fará show em São Paulo em 10 de abril, às 21h, no Hangar 110. A abertura será do Forgotten Boys. Os ingressos já estão à venda. Os preços:

1º Lote promocional: R$ 80 (esgotado)
2º Lote promocional: R$ 90
3º Lote promocional: R$ 100
Na porta (se sobrar): R$ 120
Meia entrada: R$ 60

Dá para comprar pelo telefone (0/xx/11/3637-7911) ou nos postos-de-venda:
London Calling (r. 24 de Maio, 116, Loja 15; tel. 0/xx/11/3223-5300); Estrondo (r. 24 de Maio, 62, Loja 342, Galeria do Rock, tel. 0/xx/11/3361-8961); Sick'n'Silly (r. Augusta, 2.690, loja 216, Galeria Ouro Fino, tel. 0/xx/11/3081-7508); A Confraria (r. Professor Souza Barros, 207, São Judas, tel. 0/xx/11/3542-1705).
Meia entrada apenas no próprio Hangar.

Escrito por Thiago Ney às 19h05

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Grandes idéias e outras coisinhas

Vídeo da nova música do LCD Soundsystem, a melhor banda do mundo. "Big Ideas" é o nome da faixa.

 
Bem, o vídeo acima foi retirado do Daily Motion e do You Tube. Enquanto ele não volta, ouça "Big Ideas" no MySpace da banda.
 
* A banda neozelandesa The Datsuns, que fez certo barulho há alguns anos (tipo 2002, 2003), fará três shows no Brasil:
11 de abril - Inferno (São Paulo)
12 de abril - Abril pro Rock (Recife)
13 de abril - Bolshoi Pub (Goiânia)
 
* Aquela história de o rock ir à Africa continua. Em recente show em Liverpool, dentro do evento Africa Express, o Franz Ferdinand tocou duas músicas: em "Take me Out", chamaram para participar o vocalista do Senegal Baaba Maal; depois mostraram uma faixa nova, "Stay Tonight", que lembra muito o afrobeat. E, parece, não foi à toa. O guitarrista do Franz, Nick McCarthy, disse que "as músicas novas têm um clima africano; o disco inteiro tem".

Escrito por Thiago Ney às 17h02

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

La Vida Loca

O próximo disco do Coldplay vai chamar "Viva La Vida". O vocalista, Chris Martin, foi quem deu a notícia. Nada a ver com Ricky Martin, ele garante. "Foi inspirado na Frida Kahlo, que passou por muita merda e depois iniciou uma grande pintura que dizia 'Viva La Vida'", disse Martin (o do Coldplay). "Viva La Vida", o disco, é produzido pelo Brian Eno.

Escrito por Thiago Ney às 13h07

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Lov.e, o último dia

O adeus ao Lov.e será dado em 4 de abril. O clube, inaugurado em 1998, vai fechar as portas com festa em que tocarão vários dos DJs que passaram pela casa. Mais detalhes, em breve.

Escrito por Thiago Ney às 12h34

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Você viu aquilo?

Preste atenção no vídeo. É um teste de percepção. Temos que contar quantas vezes o time branco passou a bola. É rápido, um minuto.

Feito pela prefeitura de Londres para chamar a atenção para o número de ciclistas atropelados no trânsito. Mais infos, aqui.

Escrito por Thiago Ney às 12h19

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Portishead em vídeo

O aguardado novo disco do Portishead, "Third", já roda a internet (link para assinantes do UOL). A banda colocou em seu site o clipe do primeiro single do álbum, "Machine Gun." Meio quebrada, dissonante, "Machine Gun" é das melhores do (ótimo) disco.

Escrito por Thiago Ney às 18h17

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

No Texas...

...não eu, mas mais de 1.700 bandas passaram pelo South by Southwest, em Austin, na semana passada, além de jornalistas, de gente de gravadoras, de empresários, de agentes, do Lou Reed e do Perez Hilton. O site do festival tem áudio e vídeo de algumas apresentações. No You Tube, dá pra caçar alguma coisa, como:

"Tell Me What's Worth", do Lightspeed Champion

 

Duffy

 

A (ótima) sueca Robyn (com dois bateristas)

 

Crystal Castles

 

A refrescante Santogold

 

E o melhor: a loucura que foi "Kids", do MGMT

 

E o hip-booty-electro-bass-hop da Kid Sister

Escrito por Thiago Ney às 13h38

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Está chegando

"O Estranho Mundo de Zé do Caixão". Dia 4 de abril, sexta-feira, no Canal Brasil. A chamada:

Escrito por Thiago Ney às 14h46

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A música no É Tudo Verdade

Acontece entre 26 de março e 6 de abril, em São Paulo (no Rio, entre 27/3 e 6/4; em Brasília, entre 14/4 e 20/4), o festival de documentários É Tudo Verdade. Em SP, o dia 4 de abril é especialmente rico. No Cinesesc, serão exibidos:

19h - "Waldick, Sempre no Meu Coração" (de Patrícia Pillar; 58min)
21h - "Simonal - Ninguém Sabe o Duro Que Dei" (Cláudio Manoel, Micael Langer, Calvito Leal; 84min)
23h - "Joy Division" (Grant Gee; 93min)
No dia seguinte, às 13h, também no Cinesesc, haverá nova exibição de "Simonal".

Escrito por Thiago Ney às 13h13

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Boas da semana

Boas da semana

Punkadão - A divulgação diz: "maximal, breakbeat, guetto-tech, miami bass...". Se rolar tudo isso, não tem como não ser legal. Com Roots Rock Revolution, Database, Reverse Tunes e outros. Inferno (r. Augusta, 501, Centro, São Paulo; tel. 0/xx/11/3120-4140; sexta, a partir das 24h; de R$ 10 a R$ 15)

Rezillos - O CB comemora aniversário de dois anos com show da banda escocesa de punk-rock. CB Bar (r. Brig. Galvão, 871, Barra Funda, São Paulo; tel. 0/xx/11/3666-8971; sexta, a partir das 20h, com o show começando às 22h; de R$ 40 a R$ 80)

Walverdes - Boa banda gaúcha de stoner-punk-rock. E a noite ainda tem os ótimos Zefirina Bomba. Clube Praga (r. Turiassú, 483, Perdizes, São Paulo; tel. 0/xx/11/6121-2136; sexta, a partir das 23h; R$ 10)

Pilooski - Francês responsável pelo excelente edit de "Beggin", música feita por Frankie Valli nos anos 70. Pouca gente toca o que ele toca: new soul, new house, new disco, new wave. Além dele, tem Marcio Vermelho e Morcerf. Vegas (r. Augusta, 765, Centro, São Paulo; tel. 0/xx/11/3231-3705; sábado, a partir das 24h; de R$ 25 a R$ 30)

 

Escrito por Thiago Ney às 12h30

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | Boas da semana | PermalinkPermalink #

O fim de semana perdido de Lennon

O "fim de semana" perdido de John Lennon durou quase dois anos. Em setembro de 1973, ele e Yoko se separam, e Lennon vai para a Califórnia (e depois volta a Nova York), onde vive com May Pang, uma chinesa que era sua assistente à época. No início de 1975, Lennon reatou com Yoko, e terminava assim o "lost weekend". A turbulência por que passou o ex-Beatle à época fez com que muitos acreditassem que ele estivesse em momentos tensos, problemáticos. Pois um novo livro de Pang ajuda a desvendar um pouco esse período. "Instamatic Karma" traz 140 fotos tiradas por Pang naquele tempo, e mostram um Lennon relaxado, brincando com o filho (Julian), nadando etc. (Pang estava com Lennon em 1974, quando ele assina o documento que oficializa o fim dos Beatles.) No "New York Times", há algumas imagens do livro.

Escrito por Thiago Ney às 17h34

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Iggy e Madonna

Madonna ganhou um lugar no Hall da Fama nesta semana. Mas o legal não é isso; é o cover que Iggy Pop fez de "Ray of Light", e a cara da Madonna e do Justin Timberlake (e a câmera ainda acompanha o encontro de Iggy e Madonna):

Escrito por Thiago Ney às 17h10

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Filho da música

 

Your donations help create lives

Precisando de uma mãozinha para descolar ingressos para o Glastonbury, T in the Park, Reading, enfim, qualquer um dos gigantescos festivais europeus de música? Então mãos à obra! A Sperm for Tickets é uma campanha (irlandesa, até onde eu entendi) que troca doação de esperma por ingressos para QUALQUER festival europeu de música! Pra vocês terem noção da secura em que andam os bancos de esperma e clínicas de fertilização do velho continente.

Há três poréns, para os mais empolgadinhos:

1) a coisa toda parece uma grande piada, mais um site fake; dei uma vasculhada e achei pouco crível - mas uma boa idéia, não obstante!

2) a suposta promoção é só para residentes europeus e eles não pagam passagens e estadia para os festivais

3) apesar da garantia de "anonimato total" dos doadores, até onde eu me lembro a nova legislação britânica tornou obrigatória a identificação dos doadores para os eventuais filhos nascidos da doação; essa perspectiva de que, depois de 15 anos, aparecesse um garoto (ou garota) na sua porta se dizendo seu filho(a) foi o que levou à drástica redução nas doações (isso e o fim do pagamento em ca$h para os doadores)

Escrito por Marco Aurélio Canônico às 15h04

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Paul e o peixe

Quarta-feira, dia sagrado da feijoada, bem adequado pra essa notícia que chegou, via agências internacionais:

O ex-Beatle Paul McCartney disse que virou vegetariano em uma viagem de pesca, quando se deu conta de que a vida do peixe era "tão importante para ele quanto a minha para mim".
McCartney, 65, posou para uma foto para a People for the Ethical Treatment of Animals (PETA), com a legenda: ‘I am Paul McCartney and I am a vegetarian'.

Numa nota não relacionada, acabo de descobrir que agora existe Bubbaloo de chocolate e de napolitano "tri-shake". Deus seja louvado!

Escrito por Marco Aurélio Canônico às 14h51

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Interpol em SP

No início da primeira música, "Pioneer to the Falls", percebe-se que a bateria de Sam Fogarino está nítida e alta, mas que o vocal de Paul Banks está baixo e embolado. É a apresentação do Interpol em São Paulo, no Via Funchal, na última terça (dia 11/3). Parece que sempre teremos que aguentar esse tipo de coisa em shows em São Paulo: som embaralhado, filas enormes para comprar bebida, confusão para estacionar carro... Mas como o preço do ingresso é barato (R$ 120? Uma pechincha...), fica fácil esquecer os problemas.

                                                                     Alex Almeida/Folha Imagem


O cenário (um telão branco em que são exibidas cenas de animais, imagens abstratas etc. e pequenos postes luminosos) contrasta com o visual da banda (todos em preto, quase formais). É uma sobriedade que faz paralelo com a música da banda: não dá para sorrir com o rock meio desolado, desesperançoso do Interpol.
O show em São Paulo é irregular. Culpa da própria trajetória do Interpol: enquanto o primeiro disco ("Turn On the Bright Lights") possui uma força imediatista, o segundo ("Antics") e, principalmente, o terceiro ("Our Love to Admire"), são de apelo mais difuso. "Pioneer to the Falls", "Obstacle 1" e "Say Hello to the Angels", empolgam na primeira metade da apresentação. Quando o Interpol desacelera o ritmo e joga o foco no clima emotivo das canções, o show cai muito. São músicas que carregam dramaticidade, mas que, na essência, são apenas grandiloquentes: vazias, desfocadas.
"The Heinrich Maneuver" e o bis, com "NYC", "Stella Was a Diver and She Was Always Down" e "PDA", menos ambiciosas, devolvem o vigor à apresentação, e nos lembram que o Interpol, quando vai direto ao ponto, é uma grande banda.

Escrito por Thiago Ney às 13h22

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Andrew WK

Este vídeo demanda um bom conhecimento de inglês, mas vale a pena, porque é muito divertido. O bagaceiro Andrew WK fez uma vinheta baseada no tradicional programa de debate político "The McLaughlin Group", que é um dos pioneiros da TV americana no gênero. Na breve introdução antes da música, a mocinha explica o que é o programa e como hoje em dia seu apresentador, John McLaughlin, parece estar meio gagá - no meio de uma discussão sobre saúde pública, ele comentou que o próximo homem a pisar na Lua será chinês (um dos trechos que WK usou em sua vinheta).

Escrito por Marco Aurélio Canônico às 11h18

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Breeders

Já ouviu a nova de Kim Deal e sua gangue, "Bang On"? Não é assim uma "Cannonball", mas...

E o Supergrass segue prolífico nos clipes do (ainda nem lançado) novo disco e põe o terceiro deles na praça, de "Rough Knuckles"

Escrito por Marco Aurélio Canônico às 14h49

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Peru, sim; Brasil, não

O ex-Pulp Jarvis Cocker faz turnê latino-americana, mas sem Brasil. A decana banda britânica House of Love também vem para a América do Sul. Mas apenas para um show no Peru (sim, Peru), nesta quinta (13/3).

Escrito por Thiago Ney às 16h18

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A vez de Santogold

Ela vem sendo comparada a MIA, não apenas por serem amigas, mas por trabalharem com produtores de eletrônica, como Diplo e Switch. Mas a norte-americana Santogold parece um pouco menos "world music" do que MIA; em seu primeiro vídeo, "LES Artistes", a voz lembra a de Gwen Stefani. E o vídeo é bem... colorido. O disco dela sai no final de abril.

Escrito por Thiago Ney às 15h03

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Madonna: vale tudo

Depois de Lovefoxxx, é a vez de Madonna estampar a capa da "Dazed & Confused":

 

Escrito por Thiago Ney às 14h38

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

REM no iLike

Comunidade ligada ao Facebook, o iLike vai tocar por inteiro, no próximo dia 24, o novo disco do REM, "Accelerate". O álbum será lançado nos EUA no dia 1º de abril.

Escrito por Thiago Ney às 14h25

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Tetris encontra Sudoku

É o DropSum. Com o mouse, escolha a coluna para colocar cada número. O objetivo é somar 9 em qualquer direção.

Escrito por Thiago Ney às 13h44

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

"Me apaixonei por uma assassina"

Jason Howe é um repórter-fotográfico britânico que vai à Colômbia registrar imagens do cotidiano daquele país. Numa viagem de trem, conhece uma bonita jovem colombiana. Os dois se envolvem intimamente e ele até convive com a família dela. Tempos depois, a jovem confessa: trabalha como assassina do grupo paramilitar AUC (Autodefesas Unidas da Colômbia) e já matou mais de dez pessoas. O próprio Jason conta a história aqui.

Escrito por Thiago Ney às 13h21

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Tom Brasil já era

Em agosto de 1995, um show de João Gilberto inaugurava o Tom Brasil, no Itaim Bibi, em São Paulo. A casa ganhou esse nome como homenagem a Tom Jobim e à programação que teria: basicamente, artistas de MPB. Pois chega a notícia que o lugar passará a chamar HSBC Brasil. O primeiro show será de Seal, mais conhecido (ou, melhor: conhecido apenas) pelo antigo hit "Crazy". E por ser casado com a Heidi Klum. A quem interessar: www.tombr.com.br.

Escrito por Thiago Ney às 12h53

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

La pequeña Winehouse

"Soy la pequeña Amy Winehouse. Me encantan los vicios."

Escrito por Thiago Ney às 12h30

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Um pra lá, dois pra cá

* As faixas do novo disco da Madonna (o primeiro single, "Four Minutes", é mais ou menos...), "Hardy Candy", produzido por Timbaland, Pharrell Williams e Danja:

"Candy Store"
"4 Minutes"
"Give It 2 Me"
"Heartbeat"
"Miles Away"
"She's Not Me"
"Incredible"
"Beat Goes On"
"Dance Tonight"
"Spanish Lesson"
"Devil"
"Voices"

* Vampire Weekend, banda do novo rock-afro, é a bola da vez. Não consigo gostar, é muito "rock-universitário", morno. Mas, enfim, parece que eu sou o único... Aqui está a banda no "Saturday Night Live", tocando "M79":

* Não que as paradas dizem muita coisa hoje, mas a galesa Duffy tem disco ("Rockferry") e single ("Mercy") no topo dos mais vendidos do Reino Unido.

* "Young Love", do Mystery Jets (com a Laura Marling) ainda é a melhor música do ano. Mas um dos melhores discos do ano chegou há pouco. "Dig, Lazarus, Dig!!!", do Nick Cave. Incrível como Nick Cave melhora com o tempo; tanto "Lazarus" como "Grinderman" são tão bons ou melhores do que qualquer coisa que ele já fez. Ele recheia o disco com personagens estranhos e temas como morte, religião e sexo. Aqui o clipe de "Dig, Lazarus, Digg!!!" (a música):

Escrito por Thiago Ney às 12h09

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

I'll Be Your Baby Tonight

Estive no Via Funchal, em São Paulo, para ver Bob Dylan ontem à noite, o primeiro show de sua atual turnê pelo país. Eu e mais 500 mil celebridades (entre globais, VIPs da "Caras", gente de banda e, é claro, o indefectível senador Suplicy e seu filho Supla). Claro, havia também fãs do homem, gente não-convidada, que juntou grana (ou que tem grana mesmo) pra ir assistir ao show, gente vinda da Bahia e de Brasília, por exemplo, com quem conversei.

O clima era de festa VIP: mesas e bebida pra todo lado, gente bem arrumada pra todo lado, gente com cara de que foi mais pra dizer que foi do que porque gostaria de ter ido, gente incapaz de identificar a maioria das músicas do show pra todo lado. Aquele tipo de clima "é claro que o show vai ser bom, independentemente do que aconteça, porque o cara é o Bob Dylan, você sabe da importância dele, quem é você?" etc. e tal.

Nessas horas, é bom ver que Dylan segue alheio ao clima que o cerca (vai ver, é justamente por isso), sobe lá, não dá um "oi" nem olha pra platéia, e manda ver suas músicas. Foi o terceiro show dele a que assisti e cheguei à conclusão que, quanto mais se assiste, mais fácil de gostar fica. Porque uma vez que você tira da frente as questões mais óbvias (a voz rouca e cada vez mais rouca, os formatos modificados das melodias clássicas - impossíveis de acompanhar, mesmo que você saiba a letra -,o fato dele sempre deixar de fora alguma das suas favoritas), uma vez que já sabe e já viu isso tudo outras vezes, passa a prestar atenção em outras coisas - na grande banda que o acompanha, na vitalidade que as músicas mantém mesmo com andamentos modificados (vide "Highway 61 Revisited"), na diversão que é estar ali (em pé, preferencialmente).

Não tiro o mérito de quem reclama (e não são poucos), mas acho a reclamação sem sentido. Desde que o homem empunhou uma guitarra elétrica ele ouve reclamações e gritos de "Judas" (na ocasião, por ter "traído" os riporongas folks), gente dizendo que ele não é mais como era, esse blablabla. Ou seja, há uns 30 anos o sujeito "não é mais como era", "traiu suas canções" etc. e tal - dado todo esse tempo, não é o caso de dizer que não existe um Dylan "como ele era", que ele nunca foi uma coisa só? O documentário do Scorsese é bastante educativo nesse sentido. O sujeito é uma pedra rolante, da qual se pode ou não gostar, só não se pode esperar que ele seja o que você quer, "o que ele era". 

Foto: Bruno Fernandes/Folha Imagem

Escrito por Marco Aurélio Canônico às 17h11

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Tecno, estado de espírito

Excelente a entrevista que o Rraurl fez com três grandes nomes do tecno, o inglês Surgeon, o sueco Adam Beyer e o italiano Marco Carola. Especialmente oportuna foi a questão a respeito de Derrick May, que afirmou em seu blog que não gosta de downloads e que tem muita porcaria sendo feita. Surgeon respondeu: "Derrick May deveria fazer novas músicas e parar de reclamar". Gênio.
Derrick May é lenda da eletrônica. Fez "Strings of Life", música linda que ainda hoje emociona. O problema é que "Strings of Life" é de 1987, e por mais importante que Derrick May seja, não dá pro cara passar o resto da vida esperando reverência pelo que fez 20 anos atrás. Derrick May ajudou a criar o que chamamos de tecno, mas parece que ele se esquece de suas idéias iniciais.
Tecno sempre foi música que caminha para a frente, até por depender bastante de equipamentos eletrônicos e inovações tecnológicas. Mas, mais do que apertar botões pra dar uns kicks de batidas graves, bons produtores e DJs de tecno absorvem influências de outros estilos e incorporam em seus sets. É por isso que muita gente abstrai a conceituação e chama o tecno de "estado de espírito". Surgeon é mestre: dá pra ouvir ali dubstep, trip hop, idm... Adam Beyer é outro, que nos últimos anos, em vez de se afastar do minimal, buscou referências no espaçamento das batidas e na caída dos BPMs para se reciclar como DJ e produtor (vide sua "A Walking Contradiction").
Tem um monte de coisa legal rolando por aí. The Field, Burial, Benga (o nome é sensacional), Duffy, Mystery Jets, Friendly Fires, Hercules & Love Affair... Mas o Derrick May prefere reclamar.

Escrito por Thiago Ney às 16h35

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Mais Pulp...

Aproveitando o post abaixo sobre Jarvis Cocker: uma das performances ao vivo mais legais que já vi é a do Pulp tocando "Common People" no Glastonbury de 1995. Este vídeo está com o áudio meio baixo, mas espere até 1min50 e veja por que, com a banda certa e com a música certa, festivais grandes podem ser tão legais. No vídeo abaixo tem "Common People" na Brixton Academy, com áudio bom.

Escrito por Thiago Ney às 17h28

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Datsuns e Bad Brains no Abril pro Rock

A 16ª edição do Abril pro Rock vai rolar nos dias 11, 12 e 27 de abril, no Chevrolet Hall, em Recife. Entre as principais atrações, os lendários Bad Brains, Datsuns, New York Dolls, Gamma Ray, Helloween, Lobão, Autoramas e Céu. Mais infos no site do festival.

Escrito por Thiago Ney às 17h02

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sem Jarvis

Ex-líder do Pulp, autor de "Babies", "Sorted for E's and Wizz" (melhor música já feita sobre o sentimento pré e pós de ir a uma rave), "Sunrise", Jarvis Cocker inicia amanhã turnê latino-americana. Passa por Monterrey (6/3), Cidade do México (8/3), Buenos Aires (11/3 e 12/3) e Santiago (15/3). Nada de Brasil.

Escrito por Thiago Ney às 16h55

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Falta de opção leva à pirataria

A conclusão do título acima está na pesquisa feita no Reino Unido pela Entertainment Media Reserch, encomendada pela empresa de advocacia Wiggins. É apenas o óbvio: em plena era da internet, quase uma década de século 21, as "janelas" entre os lançamentos (o tempo entre a estréia de um filme no cinema e sua chegada às locadoras e à internet; o mesmo serve para música, com a  chegada às lojas e aos downloads pagos) não fazem mais sentido. E essas "janelas" são ainda maiores no caso de países como o Brasil, que ainda assistem à maioria filmes (e séries de TV, CDs, jogos) muito depois deles serem lançados no exterior.

Os resultados mostram que um terço dos cidadãos britânicos podem ser rotulados de "piratas"; 70% dos que admitiram fazer downloads ilegais afirmaram que “os sites autorizados não têm a mesma variedade dos ilegais”; quase a mesma quantidade disse que pagaria para baixar o que quer, se estivesse disponível.

Além disso, 68% disseram achar que é "muito improvável" serem pegos pela indústria por causa dos downloads ilegais, o que mostra que as campanhas antipirataria tem efeito questionável.

Escrito por Marco Aurélio Canônico às 16h22

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

CD, coisa de velho

Não chega a ser grande novidade, mas ilustra bem o tempo em que vivemos: 48% dos adolecentes norte-americanos não compraram CD em 2007. Em 2006, a fatia era de 38%. O número foi divulgado pelo "Los Angeles Times", a partir de pesquisa feita com 5.000 adolescentes dos EUA. o número de CDs vendidos nos EUA caiu 17% em 2007, segundo dados da Nielsen SoundScan. Em contrapartida, o número de pessoas que compraram música on-line em 2007 chegou a 29 milhões (em 2006, eram 24 milhões).
Na pesquisa, a justificativa de muitos adolescentes para deixar de comprar discos físicos é a comodidade: não precisa transferir as músicas do CD para o computador e, depois, jogá-las no iPod.
Hunter Conrad, 14, resume a história: "Ninguém quer as outras canções [de um disco]. Todos querem apenas os hits".

Escrito por Thiago Ney às 16h16

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

"Heroes" para Obama

A banda Arcade Fire (do Canadá) faz campanha para a candidatura de Barack Obama à presidência (dos EUA). Em show em Cleveland, tocaram covers de "A Change Is Gonna Come", de Sam Cooke, e "Heroes", do Bowie. Veja esta última (não ficou tão ruim, não...):

Escrito por Thiago Ney às 18h03

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Muito além de "Crazy"

Donos da música de 2006, a dupla Gnarls Barkley está com o segundo disco ("The Odd Couple") estourando por aí. Enquanto a primeira faixa a cair na rede, "Run", cheirava a um Carnaval fora de época, a segunda, "Who's Gonna Save My Soul", desacelera o ritmo com melodia e letra melancólicas. Tem participação do ?uestlove, do Roots, que foi quem colocou o vídeo no You Tube.

Escrito por Thiago Ney às 16h26

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Maiden São Paulo

 

Impressões pontuais do show do Iron Maiden no Parque Antártica, ontem (domingo) à noite, em São Paulo:

  • O som estava horroroso, inaceitável para um evento profissional, com ingressos caros; algumas pessoas que ficaram lá na frente, na "pista especial" (a mais cara, ingressos a R$ 250), não acharam tão ruim, mas eu achei bem fraco mesmo lá. Agora, indo pra trás, onde estava a maior parte do público, a situação era ridícula: fiquei boa parte do show lá atrás e parecia que eu estava ouvindo num rádio, não ao vivo em um estádio; os instrumentos sumiam ou explodiam à medida que os técnicos tentavam ajeitar, mas não teve jeito, o som ficou muito baixo na maior parte do show
  • A visão da pista (em pé) era muito ruim; sou um sujeito de altura mediana (1,75m) e, em diversos pontos do estádio (menos na lateral lá na frente, é claro) não conseguia enxergar o palco ou a banda - só a parte superior e o cenário de fundo; isso é um problema razoavelmente fácil de resolver, só demanda inteligência e boa vontade na montagem da estrutura, o que não houve, nitidamente
  • Não levei o Datafolha, mas acho razoavelmente seguro afirmar: o Iron Maiden é a banda com a maior quantidade de fãs uniformizados em seus shows; eu era um dos poucos sem camiseta da banda (e sem camiseta preta) e, mesmo com todo mundo já uniformizado, as vendas de camisetas durante o show bombaram (mesmo com cada uma custando R$ 50)
  • Foi o quarto show da banda a que eu assisti, o melhor deles em termos de repertório - mas, até aí, era só o esperado, dada a peculiaridade desta turnê; em termos de produção, som etc. e tal, achei o do Rock in Rio 3 melhor
  • O set list: "Aces High", "2 Minutes to Midnight", "Revelations", "The Trooper", "Wasted Years", "The Number of the Beast", "Can I Play with Madness", "The Rime of the Ancient Mariner", "Powerslave", "Heaven Can Wait", "Run to the Hills", "Fear of the Dark", "Iron Maiden"; bis: "Moonchild", "The Clairvoyant", "Hallowed Be Thy Name"
  • Em prol da perfeição, eu trocava "2 Minutes" por "22 Acacia Ave.", "Wasted Years" por "Flight of Icarus", "Can I Play with Madness" por "Phantom of the Opera", "Moonchild" por "Prowler" e "The Clairvoyant" por "Wrathchild"
  • Steve Harris é um dos melhores baixistas de todos os tempos, fato; parece que o maluco tem sete dedos na mão direita
  • Esta "Somewhere Back in Time Tour" está sendo filmada em cada uma de suas paradas pelo mundo pra virar um filme, vejam vocês, que deve chegar aos cinemas em março de 2009, de acordo com Harris
  • A foto é de Harris aí em cima foi feita por Robson Ventura/Folha Imagem

Escrito por Marco Aurélio Canônico às 17h17

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Lindsay Monroe

Em 1962, seis semanas antes de Mariyln Monroe ser encontrada morta, ela fez um (para a época) ousado ensaio com o fotórgafo Bert Stern. O local foi o hotel Bel-Air, onde Marilyn estava hospedada. Na sessão, Marilyn estava bem à vontade (meio bêbada) e se deixou fotografar em momentos de desesperada fragilidade. Pois Stern resolveu recriar aquela sessão com Lindsay Lohan e publicar as imagens na "New York".

Fez tanto sucesso que no dia que entrou no ar, o site caiu por causa do tráfego. No site da revista, outras fotos.

Escrito por Thiago Ney às 12h50

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ellen Page e seu vampire weekend

A fantástica Ellen Page (que além deste blog está em "Juno") foi a host do Saturday Night Live do último sábado (1º/3). Em um dos quadros, ela divide um sonho estranho com o não menos sensacional Andy Samberg:

Escrito por Thiago Ney às 12h36

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Música nova da Madonna

Está por aí "Four Minutes to Save the World", nova música da Madonna, que tem participação do Justin Timberlake e produção do Timbaland. Quem me passou foi o Rafael, presidente do MadonnaOnline. A faixa (e Madonna) são provas de que estamos vivendo a era dos produtores. Se no anterior, "Confessions On a Dance Floor", Madonna abraçou o electro-pop com o produtor Stuart Price, em "Hard Candy" (lançamento em abril) ela quer um clima pop-r&b-festeiro, e por isso recorreu a Timbaland, Pharrell Williams e Danja (este último, o cara que fez de "Blackout", de Britney Spears, um grande disco pop). Em "Four Minutes", Timbaland está por toda parte: nas batidas quebradas, na atmosfera lasciva, nos metais filtrados e distorcidos... Mas, não sei, me parece que a música tem muito Timbaland e pouca Madonna...

Escrito por Thiago Ney às 12h24

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Ilustrada no Pop é uma extensão da cobertura do caderno Ilustrada da Folha.

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha Online. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha Online.